Peter Drucker: o essencial sobre a vida e obra do homem que inventou a gestão moderna

Peter Drucker que nos impressiona pela sua vasta cultura de história, filosofia e até teologia e pelos seus sólidos conhecimentos de economia, finanças e gestão. Foi educado na típica formação humanista europeia e considerado o pai da gestão moderna, pelos muitos anos de prática interventiva nas empresas e organizações.

Peter Ferdinand Drucker nasceu em 19/11/1909 em Viena, Áustria. Obteve o doutoramento em direito público e internacional na Universidade de Frankfurt, onde conheceu Doris Schmitz com quem se casou. Entretanto, mudou-se para a Inglaterra onde prosseguiu os seus estudos de economia e em 1934 mudou-se definitivamente para os Estados Unidos, tendo-se naturalizado americano em 1943. Foi professor de política, filosofia, ciências sociais e gestão de empresas.

Pessoalmente e de acordo com as pessoas que com ele privaram, Peter Drucker foi um ser humano compassivo, generoso, alegre, acessível, modesto, paciente, uma pessoa que nunca perdeu a humanidade, o sentido do humor, um encantador “grande falador”, que por opção própria sempre escolheu viver uma vida simples e despretenciosa.

Profissionalmente foi um observador atento e interventivo da forma como as pessoas são organizadas nas empresas, no governo, e nas organizações sem fins lucrativos. Foi um dos pensadores e escritores mais influentes sobre a teoria e prática da gestão, pois possuía uma enorme riqueza e rigor intelectual, capacidade de trabalho e de divulgação, um sentido prático e também um profundo conhecimento das tendências críticas, partindo de uma minuciosa descrição do cenário dos negócios mais prováveis, determinado pela análise das tendências actuais que mais se destacam e das suas consequências mais lógicas, à luz evolução das circunstâncias históricas.

A sua actividade profissional foi desenvolvida em muitas frentes e de uma forma muito intensa (considerava-se um workaholic pois precisava do “stress” do trabalho e fazia-o com prazer), como:

Economista, analista financeiro, jornalista e colunista tendo colaborado com Der Österreichische Volkswirt, Frankfurt General Anzeiger, The Wall Street Journal, Harvard Business Review, Fortune, Science, The Atlantic Monthly, The Economist;

– Conferencista, consultor de gestão freelancer junto das muito grandes empresas (General Motors, Sears, General Electric, WR Grace, IBM …) e de outras mais pequenas, bem como junto de organizações sem fins lucrativos (Cruz Vermelha Americana e o Exército de Salvação), tendo trabalhado até aos 90 anos de idade,

Escritor, tendo escrito 39 livros de gestão, 2 romances, 1 autobiografia e foi ainda co-autor de um livro sobre pintura japonesa,

Produtor de 8 séries de filmes educativos sobre temas de gestão,

Docente universitário de gestão, ciências sociais e arte oriental (tendo dado a sua última aula já com 92 anos de idade).

Peter Drucker criou várias teorias como:

gestão por objectivos – gestão baseada em factores quantitativos, como um método de planeamento e de avaliação, onde se definem os objectivos finais do trabalho por empregados e chefias e são analisadas as melhores alternativas para alcançar os objectivos delineados, bem como o tempo e esforços necessários à sua concretização;

privatizações ou “(re)privatizações” dos serviços públicos – de modo a reduzir a burocracia;

descentralização e simplificação – factor de divisão do trabalho e de autonomia dos sectores para maior rapidez das actividades;

cliente sempre em primeiro lugar – importa realçar o que os produtos realmente fazem por nós, estimular o interesse comercial em os descobrir, e do seu preço;

papel dos líderes eficazes – são os que desenvolvem os planos de acção, assumem a responsabilidade pelas suas decisões, estão focados nas oportunidades em vez dos problemas, gerem reuniões produtivas;

eficiência do trabalhadorvisão de que a coisa mais importante numa organização são as pessoas que lá trabalham;

disciplina da Inovação

Era da Informação.

Peter Drucker foi não apenas o pai da gestão moderna, mas um provocador da cultura empreendedora. Defendendo que “Não podemos prever o futuro, mas podemos criá-lo”.

Faleceu em 11 de Novembro de 2005 (quase a completar 96 anos), em Claremont, Califórnia, EUA.

Manuel Cerejeira

Manuel Cerejeira

Formador/Consultor sénior. Licenciatura em Economia pelo ISEG e Curso de Organização e Gestão de Empresas (Vertente Marketing) pelo ISNP. Possui experiência profissional em cargos de gestão e chefia. É formador desde 1987, foi docente universitário em vários institutos/universidades e é consultor sénior de empresas desde 1990.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

WordPress.com.

EM CIMA ↑

%d bloggers like this: