Competências Estratégicas para Quem se Quer Manter Activo no Mercado de Trabalho

No momento actual, em que tantas empresas cortam investimentos e optam por demissões em massa, sonhar com uma promoção parece loucura. Mas não é.

O processo de ascensão profissional sofreu grandes transformações com a crise económica, mas continua a ser possível.

A meu ver, a tendência mais consistente e sustentável, a médio e longo prazo, é a meritocracia. As promoções ocorrem de forma mais criteriosa, as pessoas são testadas e têm de provar que merecem evoluir na carreira e na empresa.

picture1_competencias

As 6 Competências Técnicas e Comportamentais: 

  1. Ser Flexível:

A elasticidade e/ou plasticidade, já tinha sido considerada uma competência estratégica para o Séc. XXI. Continua. Mais. Hoje quem não é flexível, entenda-se, por exemplo não aceitar tarefas definidas no seu Cluster de Competências para o qual é pago, arrisca-se a não ser promovido. Melhor. E/ou despromovido, como tanto tem acontecido nos últimos anos, à margem da Lei do Trabalho.

  1. Conseguir Resultados Mensuráveis:

Quem é improdutivo não corre apenas o risco de não ser promovido: a sua própria permanência no emprego está sob ameaça. Mais do que nunca, as empresas procuram e recompensam profissionais com alto rendimento. As promoções têm sido cada vez menos técnicas ou científicas, com base em números que comprovam a produtividade de cada um.

  1. Capacidade de Se Auto-Liderar:

Quem pretende ascensão, tem de mostrar-Se! Mostrar-se capaz de partilhar, aprender, inspirar, unir as pessoas a atingir objectivos comuns e individuais, através da interajuda, mesmo sem ocupar formalmente um cargo de chefia. Para liderar, é importante saber se comunicar de forma clara e didáctica e é essencial ter controlo emocional.

  1. Auto-controlo Face ao Desânimo, próprio e dos Outros:

Uma boa gestão emocional, permite uma maior fluidez como líder, na relação com os outros, mas muito importante, permite-lhe um diálogo interno positivo no meio do desânimo causado pelas diversas crises. Promover negativismo entre os colegas, maldizer o chefe ou alimentar conversas conflituosas, eliminam qualquer hipótese de crescimento na empresa. Quem tem potencial para ser promovido faz o contrário: tem um discurso optimista, resiliente e com foco no trabalho.

  1. Investir em Habilidades Técnicas:

Apostar num novo Curso é tão indispensável quanto garantir a qualidade das suas tarefas operacionais. Factor decisivo em alturas de crise. As empresas precisam mais do que nunca de profissionais com excelência técnica. É fundamental exibir competências úteis para o dia-a-dia.

  1. Permanecer Curioso:

A curiosidade há muito é uma competência valorizada pelos recrutadores e empresas. Chama a atenção quem continua, verdadeiramente, estimulado em aprender e se mostra entusiasmado em discutir novos projectos. O interesse e a disponibilidade, adequadas, sempre foram valorizadas. Em tempos de crise, passou a ser uma vantagem competitiva.

Carla Freitas

Carla Freitas

Senior Trainer / Consultant Psychologist

 

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

WordPress.com.

EM CIMA ↑

%d bloggers like this: